Autoridades suspeitam que empresas sul-coreanas violaram embargo contra o Norte

<p>Três empresas sul-coreanas importaram carvão e ferro da Coreia do Norte em uma aparente violação das sanções da ONU contra o regime comunista, anunciaram nesta sexta-feira as autoridades de Seul.</p><p>Entre abril e outubro de 2017, mais de de 35.000 toneladas de carvão e ferro norte-coreano foram importados para a Coreia do Sul através da Rússia, informou uma fonte da Alfândega do país.</p><p>”Todos os navios suspeitos de violar as sanções da ONU serão imobilizados ou proibidos de entrar nos portos sul-coreanos”, disse a fonte.</p><p>O carvão era transportado para a Rússia, onde sua origem era modificada para “transformá-lo” em russo com documentos falsos.</p><p>Em seguida, a mercadoria era enviada para a Coreia do Sul, afirma um comunicado divulgado pela Alfândega, após uma investigação de 10 meses.</p><p>”A Alfândega identificou sete infrações e as autoridades judiciais serão alertadas sobre os casos de três indivíduos e três empresas para pedidos de indiciamento”, afirma o texto.</p><p>Na semana passada, a ONU publicou um relatório que acusa a Coreia de Norte de violar as sanções. As exportações ilegais de carvão, ferro e outras matérias-primas teriam gerado uma arrecadação de milhões de dólares ao regime Kim Jong Un.</p><p>No ano passado, o Conselho de Segurança da ONU aprovou uma série de resoluções para proibir as exportações de matérias-primas de Pyongyang e limitar assim a arrecadação do regime em represália a seu programa nuclear.</p><p>No decorrer do ano, a tensão com a Coreia do Norte registrou uma redução após a reunião de cúpula entre o presidente sul-coreano Moon Jae-in e o líder norte-coreano Kim Jong Un e, sobretudo, após o encontro histórico entre este último e o presidente americano Donald Trump.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense