Boeing suspende entregas do 737 MAX mas mantém produção

<p>A fabricante de aviões americana Boeing anunciou nesta quinta-feira que suspendeu a entrega de seu sucesso de vendas, o 737 MAX, depois que este modelo sofreu dois acidentes mortais em cinco meses, mas que a produção continuará.</p><p>”Estamos fazendo uma pausa na entrega dos 737 MAX até que tenhamos uma solução”, disse um porta-voz da companhia à AFP. “Continuaremos com a produção mas avaliaremos nossas capacidades”.</p><p>O porta-voz também descartou a possibilidade de reduzir o ritmo de produção ou de fechar as fábricas temporariamente.</p><p>A Boeing pode produzir até 52 MAX por mês. Antes da crise, previa aumentar sua cadeia de produção para 57 unidades a partir de junho.</p><p>A Administração Federal da Aviação (FAA) ordenou nesta quarta-feira deixar em terra “provisoriamente” os Boeing MAX 8 e 9 nos Estados Unidos após decisões similares das autoridades de segurança de aviação do mundo todo.</p><p>Washington justificou esta escolha ao compilar os “novos dados” de satélite fornecidos pelo Canadá, que mostram semelhanças entre a tragédia da Ethiopian Airlines e a da Lion Air.</p><p>A proibição de voo “será mantida para uma maior investigação, incluindo a revisão da informação contida” nas duas caixas-pretas do avião da companhia aérea etíope que caiu no domingo, disse a FAA.</p><p>O acidente na Etiópia, no qual morreram 157 pessoas, ocorreu menos de cinco meses depois do acidente com o mesmo modelo da companhia indonésia Lion Air, no fim de outubro, que matou 189 pessoas.</p><p>As duas caixas-pretas do voo da Ethiopian Airlines, que devem revelar o contexto do acidente, foram recebidas nesta quinta-feira na França pelo Escritório de Investigação e Análise (BEA), uma agência especializada que será responsável por extrair os dados.</p><p>A investigação da tragédia da Lion Air revelou até agora um mau funcionamento no sistema de controle de voo chamado Maneuvering Characteristics Augmentation System (MCAS).</p><p>”A Boeing tem confiança plena na segurança do 737 MAX”, afirmou o grupo na quarta-feira.</p><p>lo-dt/vmt/AB/mps/lda/db</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense