Campanha reúne milhares de pessoas contra exploração sexual na Ilha de Marajó

Uma audiência pública no município de Breves, no Pará, abriu as atividades da campanha “Abrace o Marajó”. A mobilização deve beneficiar cerca de 500 mil pessoas.

 

Lideranças comunitárias foram convidadas para debater as violações de direitos humanos na região, principalmente a exploração sexual de crianças e adolescentes.

 

Uma comitiva formada por representantes dos Poderes Públicos e da sociedade civil visitou a Casa de Acolhimento de Crianças Irmã Maria José, em Portel. A instituição é mantida pela CNBB, a Conferênciao Nacional dos Bispos do Brasil.

 

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, participou da comitiva e defende mais investimentos em geração de empregos.

 

A comitiva da campanha “Abrace o Marajó” realizou encontro com 17 prefeitos da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó.

 

Somente em 2017, foram denunciados 365 casos na região em apenas oito dos 16 muncípios da ilha, uma média de duas vítimas por dia.

 

* Confira mais detalhes na reportagem de Juliana Cézar Nunes.

Fonte: Rádio EBC