Chefes de Estado do Brics pedem mais cooperação no grupo e menos protecionismo

Termina nesta quinta-feira a programação da 11ª reunião de cúpula do Brics, o grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

O primeiro compromisso dos chefes de Estado dos países emergentes será às 9h15, no Palácio do Itamaraty. Eles vão posar para a foto oficial do evento. Logo depois, terão duas reuniões: uma fechada e outra que será transmitida apenas pelos meios de comunicação oficiais.

No primeiro dia do encontro, nessa quarta-feira, o presidente Jair Bolsonaro destacou que o Brasil pretende abrir ainda mais a economia e se aproximar dos outros países do bloco.

Cyril Ramaphosa, da África do Sul, destacou as relações econômicas entre os cinco países, na infraestrutura, na agropecuária e na exploração mineral.

O presidente da China, Xi Jinping, agradeceu o apoio dos empresários e disse que são eles que movem o Brics. Também criticou as políticas protecionistas e disse que elas prejudicam todos os países.

O chefe de Estado da Índia, Narendra Modi, também elogiou o papel dos empresários e pediu que os cinco países identifiquem os setores econômicos que devem ser considerados prioritários para o grupo pelos próximos 10 anos.

E o presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu que os países do Brics cooperem mais entre si, principalmente na área de tecnologia da informação. No ano que vem, a Rússia vai assumir a presidência rotativa do Brics, e sediar a cúpula, na cidade de São Petersburgo.

Essa é a segunda vez que o Brasil recebe a reunião do Brics. A primeira foi em 2010.

Fonte: Rádio EBC