Consumo do açaí é monitorado em Rio Branco

Mais de mil e quinhentas pessoas já procuraram o Centro de Apoio e Diagnóstico, em Rio Branco, no Acre, para a realização de exames de sangue com foco na investigação da doença de chagas, segundo o último balanço da Secretaria Municipal de Saúde. A pasta convocou os moradores depois que foi confirmada a contaminação do açaí comercializado no Mercado Elias Mansur.

 

Amostras coletadas no estabelecimento entre novembro e dezembro do ano passado, pela Vigilância Sanitária, e analisadas em laboratório, deram resultado positivo para a presença do Trypanosoma cruzi, protozoário causador da doença de Chagas.

 

Os produtos foram retirados imediatamente das prateleiras e foi feito um trabalho educativo com batedores de açaí e fornecedores. Como medida de proteção à saúde da população, houve um chamamento público para a realização de exame de sangue, que iniciou no último dia 4 e vai até o dia 18 deste mês. Após essa data, o balanço dos resultados será divulgado.

 

O exame deve ser feito por pessoas que consumiram o açaí e seus derivados vendidos no Mercado Elias Mansur e arredores nos últimos seis meses.

 

A doença de chagas é infecciosa e pode ser adquirida por meio do contato com as fezes do inseto barbeiro, pela pele ou via oral. Entre os principais sintomas estão febre, inchaço e problemas cardíacos. E pode levar à morte, se não for tratada.

Fonte: Rádio EBC