Dilma volta a defender novas eleições durante evento em Brasília

No último evento antes de ir ao Senado para se defender, a presidenta afastada, Dilma Rousseff, discursou no teatro do Sindicato dos Bancários, em Brasília, e afirmou que está sendo punida mesmo sem ter cometido crimes.

 

Disse também que refletiu e percebeu que o impeachment é resultado das quatro derrotas da oposição nas últimas quatro eleições presidenciais. E destacou que os oposicionistas querem impor uma eleição indireta.

 

E voltou a defender novas eleições para combater, o que chamou, de ruptura democrática. E ainda criticou propostas do governo do presidente interino, Michel Temer, como a Proposta de Emenda à Constituição que limita os gastos públicos. Segundo ela, a medida vai impedir investimentos em saúde e educação.

 

Dilma vai ao Senado na segunda-feira para se defender e responder aos questionamentos dos senadores, da acusação, da defesa e do presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Ricardo Lewandowski, que preside a sessão.

 

Para cassar Dilma Rousseff, são necessários os votos de 54 dos 81 senadores. Nesse caso, Temer assume definitivamente. Mas se o quórum não for atingido, Dilma volta ao cargo e o processo é arquivado.

Fonte: http://radioagencianacional.ebc.com.br/rss/ultimasnoticias/feed.xml