Em evento com magistrados negros, Toffoli defende cotas raciais

O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli, defendeu hoje (8) ações afirmativas, como as cotas nas universidades com base em critérios étnico-raciais. Para ele, o racismo no Brasil é estrutural e tais políticas são eficazes na promoção de igualdade.

“Políticas afirmativas vão ao encontro da integração dos setores desfavorecidos, soerguendo em cidadania os indivíduos a quem é dirigida a discriminação racial sistêmica”, disse o ministro. “No racismo estrutural ou institucional, disseminado na sociedade brasileira, inexiste vontade livre e deliberada de discriminar, mas fazem-se presentes mecanismos e estratégias que dificultam a participação da pessoa negra no espaço de poder”.

As declarações foram dadas durante o 2ª Encontro Nacional de Juízas e Juízes Negros, em Brasília. Toffoli destacou números do último censo do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), feito este ano, segundo os quais apenas 1,6% dos magistrados brasileiros se declaram negros.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL