Ipem-PE verifica bafômetros do Detran da Paraíba

<p><span style="font-size: 14px;"><img src="https://www.pe.gov.br/_resources/files/_modules/files/files_19823_20190911104639659b.jpg" alt="ipem" width="500" height="333" /></span></p>
<p><span style="font-size: 14px;">O Instituto de Pesos e Medidas de Pernambuco (Ipem-PE) verificou, nesta ter&ccedil;a-feira (10), etil&ocirc;metros, popularmente chamados de baf&ocirc;metros, utilizados pelo Detran da Para&iacute;ba. Ao todo 34 instrumentos foram verificados, apenas um foi reprovado.</span></p>
<p>Principal dispositivo da Lei Seca para diminuir acidentes por embriaguez, o baf&ocirc;metro exige certifica&ccedil;&atilde;o t&eacute;cnica peri&oacute;dica para garantir resultados confi&aacute;veis. Antes de serem comercializados, os fabricantes ou importadores precisam submeter os etil&ocirc;metros a uma verifica&ccedil;&atilde;o inicial para garantir que os instrumentos me&ccedil;am corretamente a concentra&ccedil;&atilde;o de &aacute;lcool encontrada no ar expirado.</p>
<p>No caso de aprova&ccedil;&atilde;o do instrumento, o Ipem-PE emite certificado e laudo de exame metrol&oacute;gico e o aparelho &eacute; identificado mediante uma etiqueta de verifica&ccedil;&atilde;o afixada em lugar vis&iacute;vel ao usu&aacute;rio. A verifica&ccedil;&atilde;o tem validade de um ano.</p>
<p>Findo esse prazo, o instrumento precisa ser submetido &agrave; nova verifica&ccedil;&atilde;o metrol&oacute;gica, denominada verifica&ccedil;&atilde;o subseq&uuml;ente, a qual deve ser repetida anualmente ou sempre ou que tiver sofrido algum reparo.</p>
<p>O sistema simula o sopro de um indiv&iacute;duo e &eacute; acionado por uma v&aacute;lvula ligada a um pedal que libera o fluxo de ar a ser medido pelo etil&ocirc;metro. O primeiro teste &eacute; feito apenas com ar sint&eacute;tico, sem &aacute;lcool. Em seguida s&atilde;o realizados ensaios com tr&ecirc;s concentra&ccedil;&otilde;es diferentes de etanol em &aacute;gua.</p>
<p>&ldquo;A confiabilidade metrol&oacute;gica nestes instrumentos &eacute; de grande import&acirc;ncia, pois colabora para o processo educativo que resulta na cultura de seguran&ccedil;a, assumindo o papel de elemento inibidor de acidentes no tr&acirc;nsito&rdquo;, afirma Adriano Martins, Presidente do Ipem-PE.</p>
Fonte: ASCOM Governo Pernambuco