Merkel diz que acordo entre Mercosul e UE será mais difícil com Bolsonaro

A chanceler alemã, Angela Merkel, discursa no parlamento, em Berlim, nesta quarta (12).

A chanceler alemã, Angela Merkel, disse nesta quarta-feira (12), em discurso no parlamento do País, que o futuro governo de Jair Bolsonaro tornará mais difícil fechar o acordo comercial entre o Mercosul e a União Europeia, cujas discussões já se arrastam por mais de 20 anos.

Segundo Merkel, o tempo está se esgotando para que os dois lados cheguem aos termos finais.

Bolsonaro já disse ser mais favorável a negociações bilaterais do que a engajamentos em grupos multilaterais, como no caso do Mercosul.

Logo após as declarações, no entanto, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, disse que o acordo só não foi fechado ainda por dificuldades impostas pelo bloco europeu.

“O Mercosul e a União Europeia só não têm um acordo, não é porque o Mercosul não quis, é porque a União Europeia não quis”, disse o ministro.

“O Brasil flexibilizou o que podia flexibilizar. Flexibilizamos até em detrimento de uns setores aqui internamente”, disse Maggi a jornalistas.

Segundo o ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, o Brasil está empenhado para que o acordo seja concluído, mas é preciso que os dois lados estejam interessados.

“Nós atribuímos enorme importância (ao acordo UE-Mercosul). O ministro [das Relações Exteriores] Aloysio [Nunes] está pessoalmente empenhado na negociação. Tenho acompanhado todos os temas de maneira muito próxima e estamos dando todos os sinais que Brasil tem vontade e disposição de fechar o acordo, mas os dois lados têm que querer”, afirmou Guardia a jornalistas.

* Com informações da Reuters


Fonte: brasilpost