Merkel ignora críticas dos EUA e não aumenta gastos militares

<p>A chanceler alemã, Angela Merkel, insistiu nesta terça-feira que não sacrificará as verbas destinadas à ajuda ao desenvolvimento para aumentar os gastos militares, ignorando uma vez mais as críticas de Washington ao seu orçamento de defesa.</p><p>”Continuaremos com nosso esforço (em matéria de gastos militares) mas não se isso custar a ajuda ao desenvolvimento”, disse no fórum “Global Solutions” em Berlim.</p><p>”Que o presidente americano (Donald Trump) considere insuficiente, posso entender. Muitos sócios europeus também consideram”, disse.</p><p>Um pouco antes, o embaixador dos Estados Unidos em Berlim, Richard Grenell, havia estimado “inquietante” que o governo alemão trabalhe em como reduzir o nível “já inaceitável” de seus gastos militares.</p><p>Berlim, como todos os membros europeos da OTAN, prometeu em 2014 se aproximar o máximo possível em dez anos de 2% do PIB de gastos em defesa. A Alemanha se fixou uma meta de 1,5% em 2025.</p><p>Essa partida passará de 1,37% em 2020 a 1,25% em 2023, segundo do orçamento 2019-2023.</p><p>A Alemanha argumenta há muito tempo que a ajuda ao desenvolvimento é um fator importante para garantir a segurança e a estabilidade internacional, e que os gastos militares não devem ser os únicos a serem levados em conta.</p><p>A impaciência de Donald Trump sobre o tema alimenta o temor de uma redução do compromisso americano na OTAN.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense