Ministro defende liberação de emendas; não existe "toma lá, dá cá"

Um dos responsáveis pela articulação entre governo e Congresso, o ministro da Secretaria de Governo, Luís Eduardo Ramos, defendeu a liberação das emendas parlamentares, durante esta semana de votação da reforma da Previdência.

 

O valor total em emendas liberadas é de cerca de R$ 1,7 bilhão. Segundo o ministro, essas verbas estão previstas na lei e a liberação não se trata de “toma lá, dá cá”, nem da “velha política”.

 

O comentário foi feito nesta sexta-feira (12), durante café da manhã com jornalistas que fazem a cobertura diária de assuntos ligados ao Palácio do Planalto.

 

O ministro Ramos destacou a aprovação do texto-base da reforma da Previdência na Câmara e disse que os destaques – pontos que modificam a proposta inicial – são parte da democracia.

 

O ministro da Secretaria de Governo também comentou o discurso final do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, após a aprovação do texto-base, na última quarta-feira (10) e reconheceu a importância da atuação de Maia na tramitação.

 

Luis Eduardo Ramos foi empossado, oficialmente, na última semana, dia 4 de julho. Foi indicado por Bolsonaro para ser o novo articulador do governo no Legislativo. No entanto, o ministro disse que, no momento, não está preocupado em montar base do governo no Congresso.

Fonte: Rádio EBC