MPF pede a condenação do ex-deputado Rocha Loures pelo crime de corrupção passiva

O Ministério Público Federal pediu que a Justiça condene o ex-deputado Rodrigo Rocha Loures pelo crime de corrupção passiva.

 

Ele também foi assessor do ex-presidente Michel Temer. De acordo com o MPF, Rocha Loures seria intermediário de Temer no recebimento de vantagens indevidas.

Rodrigo Rocha Loures foi flagrado carregando uma mala com R$ 500 mil em dinheiro vivo. A Procuradoria da República afirma que o valor foi enviado pelo empresário Joesley Batista, dono da J&F, para Michel Temer.

 

A propina seria parte do pagamento por intervenções do ex-deputado em organizações ligadas ao Estado. O Ministério Público Federal estima que o valor de propina negociada poderia chegar a R$ 38 milhões.

A procuradoria afirma, ainda, que a relação entre Rodrigo Rocha Loures e Michel Temer vai “muito além de uma relação funcional” e que existe vínculo de confiança entre eles.

 

Rocha Loures era suplente de Temer na Câmara dos Deputados e se tornou parlamentar ao assumir a vaga deixada por ele. Depois, tornou-se assessor de Michel Temer na vice-Presidência e, em seguida, na Presidência da República.

Tanto Michel Temer quanto Rodrigo Rocha Loures negam irregularidades.

Fonte: Rádio EBC