Não dá para trabalhar sem segurança jurídica, diz Cyrela sobre distratos

<p>O fundador e presidente do conselho de administração da Cyrela Brazil Realty, Ellie Horn, cobrou agilidade na atuação do governo federal para regulamentação dos distratos, que têm revertido as vendas de imóveis e provocado insegurança jurídica ao setor.</p><p>”Não dá para trabalhar sem segurança jurídica. Quando as rescisões estão maiores que as vendas é um mau sinal. O setor como um todo está mal”, disse Horn, durante evento organizado pela Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc).</p><p>”Nós temos que mexer com as autoridades. Não somos prostitutos, não temos bordéis. O governo tem que pensar no setor”, enfatizou. Horn disse que os dirigentes das associações empresariais querem trabalhar, mas são obrigados “a passar o dia em Brasília” fazendo lobby.</p><p>Horn ainda classificou o distrato como uma piada jurídica, que tem tirado a credibilidade do País. “Os investidores estão pouco propensos a investir no setor. O Brasil está desacreditado no exterior.”</p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense