Peritos apuram se peça encontrada no Índico pertence a avião da Malaysia

Boeing 777 do voo MH370 desapareceu em 8 de março de 2014, com 239 pessoas a bordo
Peritos apuram se peça encontrada no Índico pertence a avião da Malaysia Reprodução / Twitter/

Foto: Reprodução / Twitter

A descoberta nesta quarta-feira de um misterioso pedaço de avião na costa leste da ilha francesa da Reunião, no Oceano Índico, relançou as especulações sobre uma possível ligação com o voo MH370 da Malaysia Airlines, um Boeing 777 que desapareceu em 8 de março de 2014.

O destroço, de cerca de dois metros de comprimento e que se assemelha a um pedaço de asa, foi encontrado em Saint-André por funcionários de uma associação responsável pela limpeza da costa, informou uma fonte próxima aos investigadores que tentam determinar sua origem.

— Está coberto de conchas de moluscos, então presume-se que esteve por um longo tempo na água — disse a fonte à agência AFP.

Nenhuma pista tem sido privilegiada pelos investigadores, que procuram informações como o número de série para identificar a origem da peça.

Com base em fotos recebidas, um perito francês em segurança aérea, Xavier Tytelman, revelou em sua conta no Twitter “semelhanças entre os flaps (das asas) de um Boeing-777 e o resto encontrado”.

Sem seu blog especializado, Tytelman afirma que “uma referência está escrita no pedaço: BB670”. “Este código não corresponde nem à matrícula de uma aeronave, nem ao número de série do avião. No entanto, se este flap pertence realmente ao MH370, é claro que esta referência permitirá identificá-lo rapidamente. Em poucos dias teremos uma resposta definitiva”, acrescentou.

No entanto, o fato de “encontrar uma peça perto da Reunião não significa que o MH370 chegou tão longe”, ressaltou. “Caindo na costa da Austrália, seus restos poderiam ser arrastados pelas correntes, e chegar a este lugar depois de um ano”, afirma.

O desaparecimento no ano passado do Boeing 777 da Malaysia Airlines continua a ser um dos maiores enigmas da história da aviação civil. O avião, que havia partido de Kuala Lumpur com destino a Pequim com 239 pessoas a bordo, desapareceu uma hora após a decolagem, em 8 de março de 2014. Ele nunca foi encontrado, apesar das buscas intensivas no Oceano Índico.