Plenário do Senado aprova indicação de dois diretores da Aneel

<p>O Senado aprovou nesta quarta-feira, 16, a indicação de Sandoval de Araújo Feitosa Neto e de Rodrigo Limp Nascimento para a diretoria da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Até o final deste ano, o presidente Michel Temer indicará outros três dos cinco membros que compõem a diretoria da Aneel, atualizando toda a composição.</p><p>As duas primeiras indicações foram alvo de críticas dos setores regulados. O consultor legislativo Rodrigo Limp é “apadrinhado” do deputado José Carlos Aleluia (DEM-BA), que confirma o apoio. Sandoval de Araújo Feitosa, atual superintendente da Aneel, foi indicado para a segunda vaga, com as bênçãos do senador Edison Lobão (MDB-MA), ex-ministro de Minas e Energia.</p><p>Em sua sabatina na Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI), Feitosa defendeu a ampliação das fontes alternativas de energia, como a solar. Ele sugeriu a implantação de um parque solar na região do semiárido como forma de gerar empregos e desenvolver a região Nordeste.</p><p>”Temos uma possibilidade enorme de fazer um grande projeto de inserção social, onde podemos, a partir da regulamentação já existente na Aneel, gerar essa energia nesses locais que têm essa particularidade social e fazermos o consumo em grandes centros, dentro da mesma área de concessão. Há a necessidade de alguns aprimoramentos regulatórios ainda para que isso ocorra em grande escala.”</p><p>Limp, por sua vez, reforçou a necessidade de o setor elétrico se preparar para as mudanças regulatórias decorrentes dos avanços tecnológicos, como a geração de energia pelos próprios consumidores e o crescimento do número de carros elétricos. Ele também afirmou aos senadores que não há como fugir do mercado livre de energia no futuro.</p><p>”A ampliação do mercado livre vai ser um ganho para o setor, com mais eficiência e competitividade. Mas temos que tomar cuidado com alguns pontos, garantir mecanismos de financiamento da expansão da geração, que hoje estão concentrados no mercado regulado”, afirmou.</p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense