Poucos atrasados e muitos precavidos marcam o segundo dia do Enem no Rio de Janeiro

A antecedência para chegar no local de provas neste segundo dia de Enem foi a mesma do primeiro dia. Thiago Salustriano, de 20 anos, foi um dos primeiros a chegar à Universidade do Estado do Rio, a Uerj, um dos grandes locais de aplicação de provas na capital fluminense, antes de 10h. Mas a ansiedade neste domingo foi menor.

 

“Mais tranquilo hoje que semana passada. Na semana passada eu estava eufórico porque estava com medo de chegar atrasado”.

A companhia de amigos e familiares ajudou também a passar o tempo de quem chegou cedo com receio do atraso. Paloma Alves, de 18 anos, estava acompanhada do pai Sidnei Gonçalves.

“O pai fica nervoso e tentando acalmar ela também, para fazer uma boa prova. Estamos conversando para descontrair, e passando algumas dicas, também”.

 

A aposentada Cleuza Neves trabalha nos dias de Enem e outras provas há 30 anos vendendo lanches, biscoitos e água. Neste ano, afirma que vendeu menos, mas com um largo sorriso no rosto, aproveitou para apoiar e incentivar os estudantes.

“Espero que eles tenham boas notas, que consigam bons empregos, para que a situação venha melhorar. Até brinquei com eles que a água está com gabarito dentro para que eles bebam a água com fé e consigam passar, porque eu acho que uma boa alimentação para a prova é uma boa água, não é isso?”

 

O fechamento dos portões da Uerj quase não contou com o habitual corre-corre dos atrasados. A reportagem presenciou apenas duas irmãs que desceram em um ponto muito longe da universidade e acabaram perdendo o horário.

Um jovem conseguiu entrar nos últimos segundos, mas também não conseguiu realizar o exame porque afirmou ter perdido o documento de identificação.

Em todo o Rio de Janeiro, quase 340 mil pessoas se inscreveram para o Enem – 135 mil apenas na capital fluminense.

Fonte: Rádio EBC