Protesto no Rio terminou em confronto entre black blocs e policiais

O protesto contra o contingenciamento de verbas para universidades federais terminou com tumulto no Rio de Janeiro, na noite desta quarta-feira. Um grupo de cerca de 150 pessoas, a maioria vestida de preto e com máscaras, entrou em confronto com a polícia e praticou atos de vandalismo pela ruas do centro da capital fluminense.

 

De acordo com a Polícia Militar (PM), 12 pessoas foram presas. Com elas foram apreendidas pedras, pilhas, máscaras de gás e outros materiais usados para atacar policiais e destruir o patrimônio público e privado.

 

A confusão começou durante a dispersão da manifestação, por volta das 19h30.

 

O grupo black bloc tentou destruir uma base da Operação Centro Presente, projeto de segurança resultado de uma parceria entre o governo do Estado, prefeitura do Rio e Fecomércio, a Federação do Comércio do Estado do Rio de Janeiro.

 

O mesmo grupo também vandalizou o Panteão de Caxias, monumento que fica em frente ao Comando Militar do Leste, na região da Central do Brasil.

 

A tropa de Choque da Polícia Militar interviu e houve confronto. Os policiais precisaram usar bombas de gás e de efeito moral para pôr fim ao tumulto.

 

Pouco depois, por volta das 20h, os black blocs incendiaram um ônibus no cruzamento das avenidas Presidente Vargas e Passos, também na região da Central do Brasil.

 

Na ocasião, milhares de pessoas se dispersavam após a manifestação. Devido a isso, os bombeiros só conseguiram chegar ao local quando o ônibus já estava totalmente queimado, mas não houve feridos.

Fonte: Rádio EBC