Série da Netflix 'Insatiable' é lançada sob acusações de gordofobia e homofobia

<p>Uma nova série da Netflix lançada nesta sexta-feira, “Insatiable” (insaciável), considerada por alguns homofóbica e depreciativa em relação às pessoas gordas e transgênero, recebeu uma enxurrada de críticas, enquanto seus criadores e atores defendem o que afirmam ser uma comédia mordaz que busca estimular o debate.</p><p>A série apresenta Patty, uma adolescente obesa que é vítima de bullying e que após um acidente fica magérrima.</p><p>Desde então, Patty só pensa em se vingar de todos que zombaram dela, principalmente participando em concursos de beleza.</p><p>Os críticos denunciam uma apologia à magreza, e asseguram que a série perpetua “não só a toxicidade da cultura das dietas mas também a objetificação do corpo feminino”, segundo uma petição no mês passado para que seu lançamento fosse impedido.</p><p>Os comentários negativos, que começaram assim que apareceu o aviso publicitário da série, cresceram após sua disponibilização no serviço de streaming.</p><p>Nesta sexta-feira, a petição que pede o cancelamento da série contava com mais de 229.000 assinaturas.</p><p>Os críticos denunciam também a forma como “Insatiable” apresenta a homossexualidade, rindo-se do desejo reprimido de Nonnie por Patty, sua melhor amiga.</p><p>Mais tarde, uma jovem que divulga por acidente uma foto sua em que aparece nua explica que temia a princípio que as pessoas a considerassem “uma piranha” mas “agora pensam que sou lésbica”. “É muito pior”, diz.</p><p>Em outra cena, Patty e uma mulher transgênero comparam os gordos com os trans, e dizem que ambos desejam mudar de corpo.</p><p>”No mínimo, provocará discussões”, estimou em entrevista ao canal E! a atriz Alyssa Milano, que participa da série. “Tenho consciência de que não é uma série para todo mundo, mas estamos realmente orgulhosos do que fizemos”.</p><p>A vice-presidente de conteúdos originais da Netflix, Cindy Holland, explicou que a série “foi concebida como uma sátira”.</p><p>”A série é uma lição que mostra até que ponto pode ser destrutivo acreditar que a aparência é mais importante” que a personalidade, escreveu Lauren Gussis, a criadora de “Insatiable”, que explicou que se inspirou em sua própria história.</p><p>”Por favor, deem uma chance a esta série”, pediu.</p><p> * AFP </p><!– contentFrom:cms –>
Fonte: Diário Catarinense