Sobre a Previdência, Bolsonaro diz que país passa por necessária "quimioterapia"

Fazendo uma referência à reforma da Previdência, que será votada em segundo turno, em agosto, na Câmara dos Deputados, o presidente Jair Bolsonaro disse, nesta segunda-feira (15), que o Brasil passa por uma necessária “quimioterapia”.

 

A declaração foi feita no plenário da Câmara, durante a sessão solene em comemoração aos 17 anos do comando de operações especiais do Exército Brasileiro.

 

A reforma da Previdência continua em tramitação na Câmara dos Deputados, mas o próximo passo, o segundo turno, ficou para o dia 6 de agosto, após o recesso parlamentar. A decisão é do presidente da Casa, Rodrigo Maia, que achou melhor esperar, com receio de faltar quórum nesta semana e, também, por causa de possíveis pressões por mudança de votos dos parlamentares.

 

Lembrando que, no segundo turno, os deputados não podem alterar mais nada no texto a ser analisado. Neste caso, poderão apenas fazer as chamadas “emendas supressivas”, para retirar trechos do texto. Caso aprovado em plenário no segundo turno, em agosto, o texto segue para votação no Senado.

Por lá, o Secretário da Previdência, do Ministério da Economia, Rogério Marinho, acredita que a reforma seja aprovada já em setembro. Em relação à inclusão de estados e municípios na reforma, que ficaram de fora da proposta, na Câmara, a expectativa de Marinho é por meio de uma PEC, proposta de emenda à Constituição, separada.

 

No Senado, o texto passa pela Comissão de Constituição e Justiça, sem passar pela comissão especial, e vai direto para o plenário, também em dois turnos. A aprovação do texto no senado também precisa de 60% dos votos, o equivalente a 49 senadores, em cada turno.

Fonte: Rádio EBC