Universo: Trânsito de Mercúrio marca o Dia da Astronomia nas Escolas em todo o país

A semana de 10 a 17 de novembro vai movimentar escolas do mundo inteiro. E, aqui no Brasil, não poderia ser diferente.

 

Serão dias dedicados ao ensino da astronomia para estudantes de todas as idades – do ensino fundamental ao médio.

 

Os alunos poderão tirar dúvidas sobre galáxias, estrelas, cometas e planetas. E, claro, saber mais sobre os mistérios do universo.

 

A mobilização é para marcar o Dia da Astronomia nas Escolas.

 

A iniciativa é do professor Paulo Bretones, da UFscar, Universidade Federal de São Carlos, em São Paulo.

 

Ele, que é presidente da Comissão de Educação da União Astronômica Internacional, explica como nasceu a ideia.

 

Sonora:  “Atuando como presidente da Comissão C1 (Educação em Astronomia e Desenvolvimento) da União Astronômica Internacional (IAU), tive esta ideia e enviei aos organizadores dos eventos deste ano, pela comemoração dos 100 anos da IAU. A proposta foi aceita e estabelecemos um comitê organizador e representantes de vários países, levando em conta projetos realizados em várias regiões do mundo visando à formação de professores como: Network for Astronomy School Education (NASE), Global Hands-On Universe (GHOU), Galileo Teacher Training Programme (GTTP).”  

Hoje, a astronomia não faz parte das disciplinas obrigatórias, mas está na sala de aula em matérias como Física, Ciências e Geografia.

 

E vamos, desde criança, ouvindo sobre corpos celestes, o cosmos, o espaço sideral e ainda sobre fenômenos que podem nos afetar, como os eclipses, por exemplo.

 

A ideia de eventos como o Dia da Astronomia nas Escolas é despertar a curiosidade de crianças e adolescentes e fazer com que eles se aproximem de pesquisadores, astrônomos, astrônomos amadores ou interessados no mundo instigante do universo.

 

Sonora: ” O mais interessante deste projeto é incentivar a presença dos pesquisadores nas escolas. Por exemplo, tem um evento na Europa que é ‘Encontre o Professor’, no sentido do professor universitário. Então, ele vai na escola e incentiva os alunos a serem cientistas, serem pesquisadores mesmo. Então, certamente essa presença vai inspirar muitas crianças, estudantes.”

 

Serão dias de debates, exposição de fotografias e observações do céu.

 

Sonora: ” E além de palestras, tem uso de softwares ou sites da Internet, exposições de fotografias do céu, instrumentos, atividades com desenhos, construção de relógios de Sol e modelos do Sistema Solar e observações do céu em horários em que a escola permita e promova com professores, alunos, famílias e até a comunidade local.”

 

E, por falar em observação do céu, nesta semana, mais especificamente no dia 11, ocorre o trânsito de Mercúrio, quando o pequeno planeta passa entre o Sol e a Terra.  

Paulo Bretones explica a importância de um fenômeno como este marcar o Dia da Astronomia nas Escolas.

 

Sonora:  ” No caso de Mercúrio, sua órbita faz um ângulo de cerca de 7º em relação à órbita da Terra. Somente ocorrem trânsitos de Mercúrio quando o planeta passa exatamente pela linha de interseção da sua órbita com plano de órbita da Terra. Para o Brasil, o trânsito iniciará às 9h35 e  fenômeno deverá terminar às 15h04. São eventos relativamente raros, pois o intervalo mínimo entre dois trânsitos de Mercúrio é de três anos e no máximo treze. A última passagem de Mercúrio foi observada em 2016 e a próxima será em 2032.” 

 

Mas, vamos lá. E como as escolas podem participar?

 

Sonora: “Todos os níveis, todas as escolas do mundo todo. Qualquer escola pode participar desde que se inscreva no projeto, depois envie relatórios do que de fato aconteceu. Isso será disponível em um relatório e enviado para a União Astronômica Internacional. Nosso objetivo é de estimular essas atividades nas escolas e de que isso possa desenvolver ainda mais nos próximos anos.” 

 

Uma oportunidade e tanto para estudantes do todo o país. Ficou interessado?  Basta acessar a página iau-100.org/astro-day-schools

 

Neste endereço, tanto os interessados em compartilhar o conhecimento, como astrônomos e amadores que estudam os mistérios do universo, quanto as escolas, ávidas por saber o que se investiga por aí sobre ele, poderão se candidatar para participar do projeto.

 

A semana promete, não é mesmo?

 

* Como sonoplastia de José Maria Pardal, da Radioagência Nacional, em Brasília, Adrielen Alves. 

Universo:  Apresenta temas ligados à astronomia com o objetivo de explicar, de forma didática, as principais teorias do universo e descobertas científicas ligadas ao espaço. Ouça aqui os programas já veiculados da série.

Fonte: Rádio EBC