Ventania suspende visitas ao Cristo Redentor no Rio

O tempo começou a mudar no Rio de Janeiro no início da tarde, devido a chegada de uma frente fria que se desloca do oceano para o continente. A chegada da frente fria veio acompanhada de ventos muito fortes. Na estação meteorológica do Forte de Copacabana, a ventania atingiu 81 quilômetros por hora. O Sistema Alerta Rio, da prefeitura, informa que a aproximação e a passagem de uma frente fria provocará pancadas de chuva fraca a moderada em pontos isolados da cidade nas próximas horas.

Mais cedo, as estações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) registraram vento forte na Vila Militar (60,8 km/h), Aeroporto do Galeão (64,8 km/h), Aeroporto da Base Aérea do Campo dos Afonsos (59,2 km/h) e Aeroporto de Santa Cruz (55,5 km/h).

Há registro de queda de árvores em vários bairros da cidade. As equipes da Companhia Municipal de Limpeza Urbana (Comlurb) já estão nas ruas para resolver os impactos sobre a vida normal da cidade, o mais rápido possível.

O acesso ao Cristo Redentor foi suspenso por medida de segurança, devido aos fortes ventos. O serviço de transporte alternativo que leva os turistas ao alto do Cristo foi proibido de funcionar hoje à tarde, por causa das condições do tempo. A ventania também obrigou à suspensão do Bondinho do Pão de Açúcar. As bilheterias foram fechadas.

Na ponte Rio-Niterói, os carros trafegaram em comboios organizados pela concessionária que administra a via e muitos moradores ficaram assustados, principalmente devido à ventania no vão central. A Ecoponte informou que a medida é adotada sempre que há ventania, como medida de segurança aos motoristas.

Ressaca

A Marinha do Brasil informa que ondas de até 3 metros de altura podem atingir a orla do Rio, entre às 21h desta terça-feira (13) e às 9h de quinta-feira (15). Entre as recomendações estão: não permanecer em mirantes na orla ou em locais próximos ao mar durante o período de ressaca. Os pescadores devem evitar navegar durante o período de ressaca, e os ciclistas andar de bicicleta na orla caso as ondas estejam atingindo a ciclovia.

Fonte: AGÊNCIA BRASIL