Vitaminas em goma fazem bem? Eis o que dizem os especialistas

Balas de goma são responsáveis por 1 bilhão dos 41 bilhões de dólares do mercado de suplementos nos Estados Unidos.

Vitaminas em goma são docinhas e deliciosas, o que faz desse tipo de suplemento um sucesso: eles são muito mais agradáveis que vitaminas em forma de comprimidos. Não é surpresa que esses produtos sejam responsáveis por 1 bilhão dos 41 bilhões de dólares do mercado de suplementos nos Estados Unidos, um crescimento de mais de 25% em relação a 2015, segundo a empresa de pesquisas de mercado IBISWorld.

Mas será que elas são tão eficazes quanto as vitaminas tradicionais?

Não há evidências de que um tipo seja superior ao outro, segundo Zhaoping Li, professora de medicina e chefe da divisão de nutrição clínica da Universidade da Califórnia, em Los Angeles.

Ela entende que as pessoas demonstrem certo ceticismo em relação aos ingredientes usados nas vitaminas em goma. “A goma é feita de gelatina”, diz Li. “E tem outros ingredientes – glucose ou xarope de glucose. Muitas vezes há colorantes artificiais. E ácido cítrico, para agir como conservante.”

Sendo justa, acrescenta ela, todas as vitaminas – seja em goma ou comprimidos – passam por processamento químico, com materiais “inativos” que ajudam a dar forma ao produto. “Poderíamos ter as mesmas questões com qualquer comprimido”, diz Li.

De qualquer modo, há algumas coisas a levar em consideração. Veja abaixo o que os especialistas acham importante sobre suplementos em goma e vitaminas em geral.

Lembre-se do açúcar adicionado das vitaminas em goma

Heap of sugar with pouring on blue background

As vitaminas em goma costumam conter açúcar adicionado. É por isso que elas são gostosas, mas também por que muitos consumidores demonstram certa hesitação.

Tudo depende da quantidade, diz Bonnie Taub-Dix, nutricionista e autora de Read It Before You Eat It: Taking You From Label to Table (leia antes de comer: do rótulo à mesa, em tradução livre). Como referência, ela afirma que um pacotinho de açúcar contêm quatro gramas de açúcar. EM comparação, se uma porção de multivitaminas em goma contiver 3 gramas de açúcar, além das vitaminas de que seu corpo precisa, o conteúdo relativamente baixo de açúcar não seria motivo de preocupação. O mais importante é considerar seu consumo total de açúcar, aconselha Taub-Dix. Menos de 10% das calorias ingeridas diariamente deveriam vir de açúcares adicionados, segundo as recomendações do governo americano.

“São 200 calorias, ou cerca de 12 colheres de chá, para uma dieta de 2 000 calorias”, diz Taub-Dix. A nutricionista afirma que algumas pessoas podem precisar de mais de 2 000 calorias por dia, dependendo da saúde e do estilo de vida.

Essa conta pode aumentar bem rápido, observa ela, especialmente se você é fã de iogurte, cereal matinal, molhos de salada prontos e cafés incrementados. Dietas com excesso de açúcar podem provocar hipertensão, aumento de peso, diabetes e doença do fígado gorduroso, condições associadas a um risco mais elevado de ataque cardíacos e derrames.

Outra recomendação é prestar atenção nos dentes: alguns dentistas afirmam que os ingredientes responsáveis pelo sabor especial das vitaminas em goma também podem afetar sua saúde bucal (mas é claro que uma boa rotina de escovação ajuda a minimizar esse problema).

Levando tudo isso em conta, diz Taub-Dix, não há problemas em tomar vitaminas em goma. Basta tomar cuidado com o consumo de açúcar na sua dieta como um todo e cuidar dos dentes.

Lembre que nem todo mundo precisa de suplementos de vitaminas

As vitaminas são recomendadas quando há deficiências no organismo, que podem ser causadas por má alimentação, doenças, problemas de saúde ou gravidez.

Tanto Li quanto Taub-Dix afirmam que a grande vantagem das vitaminas em goma é o fato de que elas são mais “fáceis”: como parecem uma guloseima, as pessoas tendem a tomá-las com maior regularidade. Mas é bom lembrar que nem todo mundo precisa de suplementação de vitaminas.

As vitaminas são recomendadas quando há deficiências no organismo, que podem ser causadas por má alimentação, doenças, problemas de saúde ou gravidez. Você pode obter todas as vitaminas necessárias por meio da alimentação – e esse sempre deve ser seu foco principal. (Li afirma que o prato ideal contém muitos legumes e verduras, acompanhado de uma porção de grãos integrais e outra de proteína.)

“Se você só come hambúrguer e batata frita e odeia salada, talvez seja um bom candidato para suplementação de vitaminas”, diz Li.

As pessoas em geral consomem mais calorias do que precisam, e ainda assim a ingestão de diversos nutrientes fica aquém da recomendação. Para os adultos, um consumo baixo de certos nutrientes e vitaminas – tais como cálcio, potássio, fibras, magnésio e vitaminas A, C e E – podem ser motivo de preocupação, segundo as diretrizes alimentares do governo americano. Se você tem filhos, também precisa certificar-se de que eles estão ingerindo cálcio, potássio, magnésio, fibras e vitamina E nas quantidades recomendadas.

Certas pessoas têm necessidades mais específicas, incluindo idosos, quem sofre de diabetes e alcoolismo e pacientes que passaram por cirurgia para perder peso, vegetarianos e veganos.

Não tem certeza se precisa de mais vitaminas? Consulte um médico ou um pediatra (se as vitaminas forem para seu filho). Eles podem identificar eventuais deficiências e recomendar suplementação, se for o caso. Lembre também que alguns médicos são parceiros de empresas que fabricam esses suplementos, então talvez você encontre marcas com preços melhores.

Confira os rótulos antes de comprar

Preste atenção nas prateleiras de vitaminas da farmácia e você vai perceber vitaminas em goma para recortes específicos da população, como mulheres ou crianças. Outros fazem referência a saúde do aparelho digestivo ou do sistema imunológico. Apesar das diferenças, é preciso prestar atenção em outras coisas.

A vitamina A, por exemplo, é solúvel em gordura. Esse tipo de vitamina é absorvida no organismo com a ajuda de ácidos biliares, os fluidos usados pelo organismo para absorver gordura. Se você toma multivitaminas e um suplemento para melhorar a saúde do sistema imunológico, além da comida (como ovos e leite, por exemplo), e todos contêm vitamina A, afirma Li, pode haver problemas. O excesso de vitamina A – caso não haja deficiência — pode provocar “falência do fígado”, afirma ela.

Já as vitaminas B são solúveis em água e, portanto, absorvidas com facilidade pelo organismo. “Caso você ingira mais que o necessário, elas são simplesmente eliminadas na urina”, afirma Li.

Consulte um médico para determinar suas necessidades individuais e evitar o consumo exagerado de vitaminas.

Algumas vitaminas em goma não são vegetarianas ou veganas

Algumas balas de goma se anunciam como vegetarianas ou veganas, mas é sempre bom conferir.

Também é importante informar-se sobre a composição das vitaminas em goma. Algumas se anunciam como vegetarianas ou veganas, mas é sempre bom conferir.

Muitos produtos usam gelatina, que pode ser produzida à base de pele, tendões, ligamentos e/ou ossos, segundo a organização People for the Ethical Treatment of Animals. Mas existe um produto chamado agar-agar, derivado de um tipo de alga marinha e que funciona como substituto dos derivados animais.

Lembre-se que muitas vitaminas não passam por controles de segurança oficiais

A FDA, órgão do governo americano que regulamenta alimentos e remédios, considera as vitaminas em goma “suplementos dietéticos”. As vitaminas em goma, portanto, estão sujeitas às mesmas regras de segurança, fabricação e rotulagem de qualquer outro suplemento, afirma Lindsay Haake, porta-voz do órgão.

Mas suplementos dietéticos – incluindo multivitaminas – não precisam de aprovação da FDA para serem vendidos. De acordo com uma lei de 1994, a FDA é responsável por investigar produtos adulterados ou com informações enganosas no rótulo somente depois da chegada deles ao mercado. Isso significa que o controle de segurança e de aderência às regras depende das empresas.

“As empresas podem lançar novos suplementos sem receber aprovação prévia da FDA”, diz Haake. “Na realidade, elas podem lançar novos produtos sem nem sequer notificar a FDA.”

O órgão do governo pode investigar as fábricas onde são produzidas as vitaminas – e tomar medidas punitivas caso seja necessário. Elas incluem cartas de alerta e até mesmo a abertura de processos. Se a FDA provar que um produto é inseguro ou que seu rótulo é mentiroso, a agência também pode determinar que ele saia de circulação.

Como saber se sua vitamina em goma é segura? Uma dica é comprar de marcas conhecidas e estabelecidas, diz Li, pois elas tendem a ser mais consistentes em termos de qualidade.

Cuidado na hora de dar vitaminas em goma para as crianças

Pais devem supervisionar os filhos quando eles estão comendo vitaminas em goma.

O fato de as vitaminas em goma parecerem guloseimas podem levar as crianças a tomá-las em quantidades além das recomendadas. Atenção para o rótulo: mantenha-as longe do alcance das crianças.

“Crianças gostam do que é doce, então elas vão comer mais do que devem”, diz Li. Ela afirma que os pais devem supervisionar os filhos quando eles estão comendo vitaminas em goma – e certificar-se de que eles entendem que elas não são guloseimas.

A ONG de saúde infantil Nemours recomenda: “Jamais diga para uma criança que o remédio tem gosto de doce”. E isso também vale para vitaminas em goma.

Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.


Fonte: brasilpost